As Eras

ERA 1: O ARKHAEON

O mundo de Verragos foi formado a partir do material do Firmamento, iniciando o Arkhaeon quando o mundo não tinha humanos ou jotunn e os deuses reinavam sozinhos. Haleth, Silphus, Pheranisa e os irmãos Khalevali e Cherak criaram brinquedos para abandonar o tédio do mundo tranquilo e eles deram consciência aos seus brinquedos. Haleth, quem teve a ideia de criar os brinquedos, soprou seu ar e deu-lhes vida. Silphus colocou os brinquedos em seus jardins, fornecendo-lhes comida. Pheranisa fez seus rios correrem pelos jardins de Silphus, dando água aos brinquedos. Khariali deu-lhes seus metais e seu irmão Cherak deu-lhes pedra; com estas, os brinquedos fizeram habitações e ferramentas básicas. Logo depois, os irmãos forneceram fogo que permitiu que os brinquedos forjassem ferramentas mais resistentes.

Quando as criações dos deuses se voltaram umas contra as outras, isso trouxe Teuveyr à existência. Sendo tanto o Deus da Batalha quanto o Árbitro dos Deuses, Teuveyr sentiu o cheiro da sede de sangue dos vivos e o sangue dos caídos e respondeu ao chamado da batalha. Quando viu o que os outros deuses haviam criado, ele julgou, como era sua natureza. Seu julgamento recaiu sobre os deuses em vez das suas criações e com sua espada-machado entalhada na sombra, ele pegou um aspecto de cada um deles. Ele pegou o único olho de Silphus, a pele brilhante de Khalevali, o coração derretido de Cherak e a alma de Pheranisa e lançou-os no Firmamento. Ele lançou Haleth inteira no Firmamento, para que ela pudesse sempre observar seus brinquedos de longe, mas nunca mais tocá-los. Haleth e os aspectos foram arremessados longe, mas Teuveyr sabia que um dia eles retornariam, então lançou fragmentos da sua armadura atrás deles, criando um manto de estrelas para impedi-los de retornar completamente para Verragos. Assim o Arkhaeon acabou e a Era Umbral começou.

ERA 2: A ERA UMBRAL

A Segunda Era também é conhecida como o Tempo do Isolamento. Há pouquíssimos escritos sobre a Segunda Era; aqueles que existem são incompletos e vagos, deixando pouco conhecimento da Era Umbral, exceto pelo entendimento enigmático que pode ser captado dos símbolos rúnicos (antik rukhir) espalhados por Sosarra. Mas, com um pouco de embelezamento e suposição, os historiadores ainda conseguiram escrever informação suficiente para encher um volume inteiro do códice.

A Era Umbral foi uma época de selvageria e escuridão. Os aspectos de Haleth e dos outros deuses viajaram por longos milênios através do Firmamento após seu exílio. Com o Deus da Batalha como o deus dominante de Verragos, a Segunda Era foi sangrenta e violenta. Teuveyr sabia que os deuses, sem seus aspectos vitais, não conseguiriam controlar suas criações. O que ele não considerou foi que os seres inferiores ainda se voltariam uns contra os outros mesmo sem que suas cordas fossem puxadas.

ERA 3: ERA DO DESVINCULADO

A Terceira Era também é conhecida como Período das Provações. Os Desvinculados, como Haleth e os aspectos passaram a ser conhecidos, finalmente retornaram à área do Firmamento ao redor de Verragos, como Teuveyr sabia que eles fariam. Sua chegada encerrou o Período do Isolamento.

O primeiro a chegar foi o aspecto de Pheranisa, sua alma, que passou a ser conhecida como Cephos. Depois vieram os aspectos dos irmãos, a pele de Khalevali e o coração de Cherak, que se encontraram no Firmamento e se fundiram, formando o sol, Banael. O terceiro a retornar foi o aspecto de Silphus, seu olho, que seria conhecido como Larindis. Finalmente chegou Haleth, no entanto sua majestade dos Desvinculados estava limitada à noite, quando a prole dos irmãos ia dormir, pois Banael era mais poderoso do que seus pais juntos.

A Era dos Desvinculados é dividida em cinco eras, as quatro primeiras sendo as Provações. Embora os aspectos Desvinculados não pudessem retornar completamente a Verragos, a proximidade deles com os Vinculados (as partes que permaneceram em Verragos) e os efeitos da ira individual dos Vinculados foram devastadores.

Era 3, Primeira Era: Provação de Pheranisa – Pheranisa, sentindo a proximidade da sua alma no Firmamento, enlouqueceu de fúria ao recordar o que foi feito com ela no final do Arkhaeon. E assim, a Terceira Era começou com o Grande Dilúvio – ondas enormes do Mar de Sargasso que devastaram a terra de Alluvia, deixando-a como uma ruína alagada, longos trechos de areia, colinas baixas e rios tomando o lugar do que havia sido prados verdejantes. Com Alluvia destruída, a terra foi posteriormente renomeada para Alluvian Breaks.

Era 3, Segunda Era: Provação dos Irmãos –Monte Syen, o grande vulcão na região sul de Sardaya, lançou seu fogo derretido alto nos céus. O fogo choveu sobre a terra, destruindo assentamentos por quilômetros. Isso era Khariali e Cherak tentando alcançar seu filho, Banael, mas caindo de volta para Verragos quando frustrado por Teuveyr.

Era 3, Terceira Era: Provação de Silphus – Na terra de Khalevali, as criaturas de Silphus corriam soltas em grandes debandadas, assustadas pela fúria dos Deuses dos Animais e da Vida Vegetal, causando caos e destruindo as moradas do homem. Quando a Provação acabou, centenas de pôneis brancos saíram em disparada para uma área no extremo sul de Khalevai que se fundia ao norte com Alluvian Breaks. A área era chamada de Pastos dos Palominos e os pôneis morariam ali para sempre.

Era 3, Quarta Era: Provação de Haleth – Embora Haleth nunca pudesse tocar novamente suas criações, sendo a Deusa do Ar, ela ainda poderia alcançá-los com grandes turbilhões de vento que varreram Vörendwhel e as outras terras tribais ao norte de Sardaya, devastando tudo em seu caminho.

Era 3, Quinta Era: Era da Conciliação – As quatro Provações destruíram as quatro terras do sudoeste de Sosarra e foram seguidas pela Era da Conciliação. As pessoas, ainda primitivas em seus modos, começaram a formar tribos maiores e mais próximas. Seu respeito ocioso pelos deuses tornou-se uma adoração fervorosa, a fim de apaziguar os Vinculados e os Desvinculados.

O povo de Khalevali adorava Silphus e seu aspecto, Larindis. O povo de Sardaya adorava Khalevali, Cherak e seu filho, Banael. O povo de Vörendwhel e suas tribos vizinhas adoravam Haleth. O povo de Alluvia, os poucos que restavam, a maioria dos quais afundou sob as ondas e viajou para outras terras onde foram autorizados a adorar Pheranisa – e seu aspecto, Cephos – cujas águas tocavam as fronteiras de todas as terras.

ERA 4: A ERA DA DÍADE

A Quarta Era também é conhecida como a Época do Discernimento. O fim da Terceira Era surgiu quando a palavra da Díade gotejou através de Sosarra, reduzindo gradualmente e em muitas áreas substituindo completamente a adoração dos deuses Arkhaean Vinculados assim como os deuses e aspectos Desvinculados. Juntamente com os deuses mais amplamente conhecidos, algumas regiões isoladas de Sosarra também mantinham o culto de divindades localizadas – tais como a deusa Himaeriana, Morta’Valsana – mas o culto supremo da Díade não se estabeleceu completamente e superou tais divindades locais em cada canto do continente.